1 de fev de 2013

Resenha: A Seleção, Kiera Cass

Nome Original: The Selection
Data de Lançamento: 2012
Editora: Seguinte
Gênero: Romance/ Distopia
Autor: Kiera Cass
Sinopse: Para trinta e cinco garotas, a “Seleção” é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China, e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças entre dezesseis e vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha.
Para America Singer, no entanto, uma artista da casta Cinco, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás Aspen, o rapaz que realmente ama e que está uma casta abaixo dela. Significa abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes.
Então America conhece pessoalmente o príncipe. Bondoso, educado, engraçado e muito, muito charmoso, Maxon não é nada do que se poderia esperar. Eles formam uma aliança, e, aos poucos, America começa a refletir sobre tudo o que tinha planejado para si mesma — e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que ela nunca tinha ousado imaginar.

Sinto que devo começar essa resenha dizendo que eu AMO distopias. E isso foi uma das coisas que me levou a ler A Seleção. Primeiramente, eu não comprei o livro, pois estava com receio de que não gostasse da história. Acabei baixando o livro no celular e li ali mesmo.
O começo do livro realmente não me conquistou. A personagem principal, America, estava quase me levando a loucura. Abandonei o livro por um tempo, pensando que o gênero não ia me agradar, mas então retornei alguns dias atrás e não me arrependo nem um pouco.
America vive em um país chamado Ilhéa, cujo está dividido em castas, de um a oito. Devo realçar que o livro não dá muito destaque ao mundo distópico, somente em algumas partes ele é mencionado, o que me deixou muito confusa em relação ao tempo em que se passa a história.
America pertence a casta Cinco, o que indica que suas condições não são umas das melhores. Ela vive com seus pais e seus dois irmãos mais novos. Sua grande paixão é a música e um garoto chamado Aspen (como eu odeio esse personagem...) da casta de número seis. O romance entre os dois é proibido por serem de castas diferentes, então eles mantém o romance em uma casa da árvore perto da janela do quarto de America.
Num mundo de divisão rígida e pobreza, a Seleção foi um método criado pelo governo para selecionar 35 belas moças para partir para o palácio, onde o Príncipe Maxon (ahhhhhhh...) as conhecerá e irá se decidir quem será sua futura esposa. Todas as 35 selecionadas trarão benefícios pára toda a família e terão uma chance de mudar de vida para sempre.
A época da Seleção e tudo o que America pensa é que não quer se inscrever. O único grande amor de sua vida era Aspen e ela tinha certeza de que nunca seria escolhida (dãaa). America acaba sendo convencida pela sua família e por Aspen, que quer que ela tenha uma vida melhor a pelo menos se inscrever na Seleção. E é claro, America é uma das escolhidas para partir para o castelo.
E é nesse momento em que a história começa finalmente a melhorar. America parte para o Palácio brigada com Aspen e segue para uma vida que nunca sonhou em ter. 
Ao chegar lá, America percebe que o Príncipe é totalmente diferente da imagem que passam dele na TV, e começa a desenvolver um relacionamento curioso com ele. Será que, algum dia, ela consideraria a possibilidade de se apaixonar pelo futuro rei de Ilhéa?
O livro em si é bom, mas a melhor parte é o meio, a estadia de America no Palácio. Conhecemos bem as outras candidatas, principalmente a melhor amiga de America no palácio e favorita do povo, a entusiasmada Marlee (minha personagem favorita), da casta Quatro. Conhecemos também a arrogante Celeste e a tímida Ashley. Todas com personalidades e aparências completamente opostas.
Recomendo muito a leitura e estou muito ansiosa para o segundo livro. A Elite pode ser lançado em março aqui no Brasil.

Por: Mariane

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link-nos!

 - Dicas para blogs