26 de set de 2013

Resenha: Herdeiros do Atlântida (Filhos do Éden #1), Eduardo Spohr

Nome original: Herdeiros de Atlântida
Data de lançamento: 2011
Gênero: Ficção/Literatura Fantástica
Editora: Versus
Número de páginas: 473
Sinopse: Há uma guerra no céu. O confronto civil entre o arcanjo Miguel e as tropas revolucionárias de seu irmão, Gabriel, devasta as sete camadas do paraíso. Com as legiões divididas, as fortalezas sitiadas, os generais estabeleceram um armistício na terra, uma trégua frágil e delicada, que pode desmoronar a qualquer instante.
Enquanto os querubins se enfrentam um embate de sangue e espadas, dois anjos são enviados ao mundo físico com a tarefa de resgatar Kaira, uma capitã dos exércitos rebeldes, desparecida enquanto investigava uma suposta violação do tratado. A missão revelará as tramas de uma conspiração milenar, um plano que, se concluído, reverterá o equilíbrio de forças no céu e ameaçará toda vida humana na terra.
Ao lado de Denyel, um ex-espião em busca de anistia, os celestiais partirão em uma jornada através de cidades, selvas e mares, enfrentarão demônios e deuses, numa trilha que os levará às ruínas da maior nação terrena anterior ao dilúvio - o reino perdido de Atlântida.
Herdeiros do Atlântida é o primeiro livro da série Filhos do Éden, do escritor brasileiro Eduardo Spohr (autor de A Batalha de Apocalipse). O livro foi recomendado pela Lari aqui do blog (ela é super fanática pelos livros do autor, e pelo gênero) e eu resolvi dar uma chance à narrativa, que me parecia ser bem interessante.
Primeiramente, se você tem algum preconceito com escritores, ou Literatura Brasileira, largue isso agora mesmo. Conforme fui lendo HdA, mal me lembrava de que se tratava de um brasileiro narrando: a riqueza de detalhes é abundante. A única coisa que me fazia cair na real, eram os lugares onde a história se passa (Santa Helena, Amazonas, etc). 
Em segundo lugar, se você não leu A Batalha do Apocalipse (como eu) pode ficar um pouco perdido no ritmo do autor (se bem que no final do livro, você encontra um Apêndice bastante útil). São MUITOS os personagens, anjos e criaturas citados, e é um pouco chato ficar consultando as últimas páginas do livro toda hora.
Nos primeiros capítulos, conhecemos Rachel, uma adolescente tipicamente comum, que frequenta a faculdade de Santa Helena. A menina começa a ver sua vida virando de cabeça para a baixo com certos acontecimentos, incluindo a perseguição de dois estranhos (que na verdade são dois anjos, Levih e Urakin). Mal sabe ela, que sua vida toda não passa de uma mentira: ela, na verdade, é a líder revolucionária Kaira, presa num avatar humano e com suas memórias apagadas. 
Com a ajuda dos dois anjos e do querubin exilado Denyel (lindo), eles partirão em uma missão, primeiramente para recuperar a memória da Centelha Divina, e depois partir para Athea, uma colônia atlante, que esconde milhares de segredos para um futuro ataque à Cidadela de Fogo.
Na minha opinião, você vai precisar de bastante tempo para ler esse livro - por conta dos muitíssimos detalhes e compreensão da história - eu, por exemplo, demorei mais de um mês. Mas vale a pena, e de quebra você acaba aprendendo muito mais sobre o mundo dos anjos, sete céus e castas angélicas. Sem contar que foi escrito por um brasileiro \o/
Por: Mariane



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link-nos!

 - Dicas para blogs