7 de mai de 2015

Resenha: Prodigy (Legend #2), Marie Lu

Editora: Prumo e Rocco
Número de páginas: 303
Data de lançamento: Janeiro de 2013

Depois que um cataclismo atingiu o planeta Terra, extinguindo continentes inteiros, os Estados Unidos se dividiram em duas nações em guerra: a República da América, a oeste, e as Colônias, formadas pelo que restou da costa leste da América do Norte. June e Day, a menina prodígio e o criminoso mais procurado da República, já estiveram em lados opostos uma vez. Agora eles têm a oportunidade de lutar lado a lado contra o controle e a tirania da República e, assim, alterar para sempre o rumo da guerra entre as duas nações. Resta saber se estão preparados para pagar o preço que as transformações exigirão deles.

Contém spoilers do primeiro livro da série. Leia a resenha de "Legend" aqui.

Vai ser difícil encontrar palavras para descrever o que esse livro me fez sentir.

Após o final alucinante de Legend, onde a prodígio da República June (uma personagem simplesmente... Espetacular) foge com o procurado menino das ruas Day (me irritou um pouco nesse livro, mas o amor continua o mesmo), nossas expectativas sobre o que vem em seguida são altas. Logo no começo do livro, eles se encontram com o grupo de Patriotas em Vegas, e já estão à par dos planos dos rebeldes.

O Primeiro Eleitor morre, e o filho assume seu lugar. A República está um caos com a mudança, e os Patriotas acham esse o momento perfeito para começar a revolução que tanto anseiam. Day e June são incluídos num plano PRA LÁ DE ARRISCADO de assassinar o novo "ditador".

Assim como o primeiro livro, a narração é alternada em capítulos na perspectiva de June e Day, o que é perfeito, porque eles passam a maior parte da narrativa separados por causa do plano (o que é ótimo, porque eu já estava cansando do mimimi dos dois). Não que eu não goste dos dois juntos. Mas os dois separados conseguem ser mais... Eles mesmos?

Com June longe para executar sua parte do plano, Day se vê confuso ao lado de sua melhor amiga, a maravilhosa e carismática Tess, que antes via apenas como uma irmãzinha, mas nesse livro mostrou ter grande potencial e ser uma menina pra lá de forte (sério, eu amo ela). Mesmo com a introdução de novos personagens, antigos permanecem, como a patriota Kaede, que desempenhará um grande papel nesse livro.

Já June, é encarregada de se entregar aos militares e passar informações aos rebeldes e fazer com que o plano de assassinar o Novo Eleitor ocorra, porém não é nada fácil para garota abandonar completamente seus antigos ideais, ainda mais quando ela começa a enxergar um novo lado de Anden, o Novo Eleitor, que tem uma pequena (grande) queda por ela.

Ao ler o livro, você simplesmente não consegue decidir de que lado está. Com as narrativas alternadas, você consegue ver os dois lados da história, e o jeito em que ela é contada é simplesmente fantástica. O desenvolvimento dos personagens foi avassalador. Os protagonistas são os grandes responsáveis por uma revolução no país e são figuras de esperança para o povo, o que faz você se esquecer que eles têm APENAS quinze anos.

Prodigy conseguiu, sem dúvidas, superar o maravilhoso Legend. Já não sei mais o que esperar do volume final, Champion. Espero que me surpreenda ainda mais!

Por: Mariane

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link-nos!

 - Dicas para blogs