7 de jan de 2016

Resenha: A Quinta Onda, Rick Yancey


Editora: Fundamento
Número de páginas: 368
Data de lançamento: Maio de 2013


Depois da primeira onda, só restou a escuridão. Depois da segunda onda, somente os que tiveram sorte sobreviveram. Depois da terceira onda, somente os que não tiveram sorte sobreviveram. Depois da quarta onda, só há uma regra: não confie em ninguém. Agora inicia-se A QUINTA ONDA. No alvorecer da quinta onda, em um trecho isolado da rodovia, Cassie foge deles. Os seres que parecem humanos, que andam pelo campo matando qualquer um. Que dispersaram os últimos sobreviventes da Terra. Cassie acredita que, estar sozinho é estar vivo, até que conhece Evan Walker. Sedutor e misterioso, Evan Walker pode ser a única esperança de Cassie para resgatar seu irmão — ou até a si mesma. Mas Cassie deve escolher entre a esperança e o desespero, entre a rebeldia e a entrega, entre a vida e a morte. Entre desistir ou contra atacar.

Primeira resenha de 2016!!

     Estou lendo esse livro desde o final do ano passado, mas por conta das festas, etc, terminei ele só ontem. Mas, admito que dei uma boa enrolada no meio do livro (vamos falar sobre isso), mas o final foi numa tacada só.

     O livro faz parte de uma trilogia de mesmo nome, mas são somente dois livros lançados por enquanto. Nesse primeiro livro, somos apresentados à situação atual do planeta: tomado por alienígenas, que, aos poucos, pretender extinguir a raça humana para habitar na Terra.

     Foram quatro etapas até agora, chamadas de "ondas". Na primeira onda, acabaram com a energia. Na segunda, inundações. Na terceira, um vírus mortal. Na quarta, os "Silenciadores", que parecem humanos, mas são um disfarce para exterminar o que resta da humanidade. Agora começa a quinta onda...

     O livro é narrado de maneira bastante agradável, porém algumas vezes confusa. Isso por que é narrado por diferentes personagens, e às vezes você pode ficar um pouco confuso em relação à quem está narrando. Mas nada muito impossível.

     Nossa protagonista é Cassie. Ela perdeu o pai e a mãe durante as "ondas", e seu irmãozinho Sam foi capturado pelos Outros (os alienígenas). Agora, ela vaga por florestas sozinha, pois depois da quarta onda não se pode confiar em ninguém. Até ela encontrar Evan Walker.

     Aí vem o ponto negativo do livro. O romance forçado e sem química alguma. Minha vontade era de tacar o livro pela janela em todas as partes em que Evan e Cassie estavam juntos, na casa da fazenda, fazendo absolutamente nada.

     Deixando o romancezinho fraco de lado, as melhores partes do livro, sem dúvida, são as narradas por um determinado personagem que, no começo do livro, você não fazia ideia de que seria tão importante. Não vou falar quem é, pois quero que vocês tenham a mesma surpresa que eu tive.

     O livro é incrível. Você pode demorar um pouco para se acostumar com a personalidade (um pouco insuportável) de Cassie, que me lembra muito a de Katniss, de Jogos Vorazes. Mas, lá pro meio, com a presença da narrativa de outros personagens, você tolera. 

     Você não vai conseguir largar o livro no final. Isso porque você não vê a hora de um determinado encontro acontecer, e o que vai acontecer em seguida, e quer saber todas as respostas. 

     Incrível! Não vejo a hora de ter meu exemplar de "O Mar Infinito" em mãos.

Por: Mariane


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link-nos!

 - Dicas para blogs