11 de fev de 2013

Resenha: Cidade das Cinzas (Os Instrumentos Mortais #2), Cassandra Clare

Nome Original: City Of Ashes
Data de Lançamento: 20 de Abril de 2011
Editora: Galera Record
Gênero: Ficção/Romance
Autor: Cassandra Clare
Sinopse: Clary Fray só queria que sua vida voltasse ao normal. Mas o que é “normal” quando você é uma Caçadora de Sombras assassina de demônios, sua mãe está em um coma magicamente induzido e você de repente descobre que criaturas como lobisomens, vampiros e fadas realmente existem? Se Clary deixasse o mundo dos Caçadores de Sombras para trás, isso significaria mais tempo com o melhor amigo, Simon, que está se tornando mais do que só isso. Mas o mundo dos Caçadores não está disposto a abrir mão de Clary — especialmente o belo e irritante Jace, que por acaso ela descobriu ser seu irmão. E a única chance de salvar a mãe dos dois parece ser encontrar o perverso ex-Caçador de Sombras Valentim, que com certeza é louco, mau... e também o pai de Clary e Jace. Para complicar ainda mais, alguém na cidade de Nova York está matando jovens do Submundo. Será que Valentim está por trás dessas mortes? E se sim, qual é o seu objetivo? Quando o segundo dos Instrumentos Mortais, a Espada da Alma, é roubada, a aterrorizante Inquisidora chega ao Instituto para investigar — e suas suspeitas caem diretamente sobre Jace. Como Clary pode impedir os planos malignos de Valentim se Jace está disposto a trair tudo aquilo em que acredita para ajudar o pai? Nessa sequência de tirar o fôlego da série Os Instrumentos Mortais, Cassandra Clare atrai os leitores de volta para o lado mais obscuro do submundo de Nova York, onde amar nunca é seguro e o poder se torna a mais mortal das tentações. 


A sinopse do livro, aqui na resenha, foi retirada do Skoob e contém spoilers! 


Cidade dos Ossos acabou como muitos livros bons acabam: despedaçando o coração de fãs e intrigando nossas mentes à procura de respostas. No primeiro livro, Cassandra Clare joga uma bomba em nossas mãos (atenção, spoiler!): Clary e Jace não podem ficar juntos pelo motivo mais improvável de todos. Os dois, que compartilhavam um amor sincero e admirado por muitos, agora são impedidos de ficarem juntos da forma mais brusca possível. Para completar, Valentim está de volta disposto a alcançar o seu objetivo de governar o mundo dos Caçadores de Sombras, determinado unir Os Instrumentos Mortais e Jace é considerado cúmplice do pai e vilão.

A vida não está nada fácil para Clary, mesmo que assim ela tentasse fazer, ao retornar a anormalidade: sua mãe encontra-se desacordada, ela engata num romance com o melhor amigo e ainda precisa tirar Jace de seu coração. Mais tarde, a ruiva precisa aprender a lidar com o fato de que possui habilidades extremamente poderosas – bem como Jace – e que Simon descobre-se diferente. Muito diferente.

Cidade das Cinzas é um livro repleto de tensão. O tempo todo. Mesmo os fãs mais assíduos de Jace detém certa pulga atrás da orelha com o comportamento sempre arrogante do rapaz, que agora parece estar mais acentuado, e confesso: irritante. Clary toma decisões impulsivamente, mas nem mesmo isso é capaz de acabar com o brilho de heroína corajosa que ela vai se tornando.

É impossível falar de uma continuação de Cidade dos Ossos e não falar dos personagens maravilhosos que Cassie nos apresenta em suas obras: neste volume, conhecemos Maia, uma lincantrope (lobisomem), e nos aproximamos mais dos Lighwoods, além de termos o desprazer de conviver com a Inquisidora, uma terrível mulher que está determinada a provar que Jace é cúmplice de Valentim.

Como todos os livros da série, Cassandra nos surpreende com a capacidade de sempre tirar uma carta da manga e de criar uma mitologia que prende tanto aos leitores. Ah, e é claro, ela também sempre sabe como deixar que passemos dias a fio numa profunda tristeza... 

Por: Larissa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link-nos!

 - Dicas para blogs