2 de ago de 2017

Resenha: Deuses Americanos, Neil Gaiman


Editora: Intrínseca
Número de páginas: 576
Data de lançamento: Junho de 2001

Nesta obra, o autor procurou fazer uma história que envolve um exame do espírito americano, abordando desde a investida da era da informação até o significado da morte. Neil Gaiman oferece uma perspectiva de fora para dentro - e, ao mesmo tempo, de dentro para fora - da alma e espiritualidade dos Estados Unidos e do povo americano - suas obssessões por dinheiro e poder, a miscigenada herança religiosa e suas consequências sociais, e as decisões que eles enfrentam sobre o que é real e o que não é.

          'Deuses Americanos' é meu segundo contato com o premiado autor Neil Gaiman. Você pode conferir a resenha do primeiro livro lido por mim, 'O oceano no fim do caminho', aqui. O post de releitura, que é composto por uma análise mais profunda da obra, pode ser lido aqui.

          Considerado uma das grandes obras de Gaiman, 'Deuses Americanos' é uma fabula que se utiliza de recursos narrativos presentes na maioria das obras do autor. A fantasia e o poder das crenças são aspectos presentes na história, que narra uma suposta luta pela crença dos habitantes dos Estados Unidos, entre deuses "antigos" e "novos". Esses deuses novos são os considerados os deuses americanos do título, uma vez que com o passar dos tempos, passaram a ser idolatrados pela humanidade. Exemplos dessas divindades são a internet, a tecnologia, a televisão, entre outros. Consequentemente, com a ascensão dos mesmos, os antigos deuses (os conhecidos por nós das mais diversas mitologias) acabam sendo esquecidos.

          E é nesse contexto que Shadow, um recém saído da prisão está inserido, uma vez que concorda em prestar serviços para o misterioso Wednesday. Conforme se envolve nas confusões causadas por ele, que é um suposto deus que tem como objetivo unir os deuses antigos para lutar contra os novos, Shadow acaba realizando uma viagem pelos mais diversos locais dos Estados Unidos e descobrindo um lado completamente diferente do país em que vive.

          Além da história de Shadow, o livro é composto de diversos contos dispersos pelo livro, que contextualizam o conteúdo apresentado pelo autor. Confesso que por diversas vezes os contos se mostravam mais interessantes do que a narrativa "principal" da história, com ponto alto para os diálogos bem construídos e personagens cativantes (diferente do protagonista).

          Apesar de longo e muitas vezes arrastado, 'Deuses Americanos' apresenta diversos capítulos eletrizantes e de tirar o fôlego, nos surpreendendo diversas vezes com várias revelações, e apesar do protagonista apático (apesar de ele ter motivos para tal), nos introduz a diversos personagens que brilham na história, sendo eles deuses ou não.

          Uma leitura que valeu a pena e me proporcionou diversos momentos de reflexão. Não é o tipo de livro ao qual estou acostumada, então foi bom dar uma escapada da zona de conforto. Gaiman não me decepcionou, e pretendo dar continuidade na leitura de suas obras.

          Agora estou é ansiosa para conferir a série baseada na obra, que já tem uma temporada completa. Depois talvez eu volte pra dizer o que eu achei. :)

"Posso acreditar em coisas que são verdade e posso acreditar em coisas que não são verdade. E posso acreditar em coisas que ninguém sabe se são verdade ou não."

Por: Mariane

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link-nos!

 - Dicas para blogs